Sexagem fetal: o que é, como é feita e valor

Escrito por Raisa Cavalcante via Minha Vida

A maioria das mães, quando descobre que está grávida, quer logo saber o sexo do bebê para iniciar os preparativos do quarto e do enxoval. E hoje não é mais necessário aguentar a curiosidade até a 13ª semana de gravidez.

Um exame consegue identificar o sexo do bebê com apenas 8 semanas de gravidez, ou seja, um mês antes do ultrassom. Este exame, conhecido como sexagem fetal, analisa o DNA do feto, que está presente em pequena quantidade no sangue materno.

O que é o exame de sexagem fetal e para que serve?

sexagem fetal é um exame com objetivo de identificar o sexo do bebê por meio de análise do sangue materno. Este teste pode ser realizado a partir da oitava semana gestacional, contando desde a data da última menstruação.

“A taxa de assertividade do exame é de 99,9%. Por se tratar de uma coleta de sangue comum o exame é totalmente seguro para a gestante e para o feto”, esclarece a ginecologista e obstetra Ana Paula Aquino.

De acordo com Fernando Lopes Alberto, médico da área de biologia molecular, o teste baseia-se em uma pesquisa no sangue materno, de sequências do cromossomo Y, o qual só está presente no sexo masculino.

Dessa forma, em gestações únicas, a presença de material do cromossomo Y significa que o feto é menino, enquanto sua ausência indica que se trata, provavelmente, de uma menina.

Já nas gestações de gêmeos não-idênticos, a ausência de sequências de Y indica que ambos os fetos são, provavelmente, do sexo feminino. Entretanto, se a investigação demonstrar presença de material do cromossomo Y, pode-se afirmar que, pelo menos, um dos fetos é do sexo masculino.

Como é feito o exame de sexagem fetal?

Por ser um exame que coleta o sangue da mãe, muitas pacientes têm dúvida se é necessário realizar algum preparo antes do teste. No entanto, não é necessário realizar nenhum preparo como por exemplo jejum, antes de realizar o exame de sexagem fetal.

De acordo com o ginecologista e obstetra Alberto D’Áuria, especialista da Maternidade Pro Matre, o ambiente onde será realizado o teste deve conter obrigatoriamente apenas mulheres. “Se tiver um homem respirando no mesmo ambiente, ele pode jogar cromatina no ar somente por respirar e isso vai contaminar o exame, fazendo com que o resultado seja modificado”, explica o médico.

A ginecologista e obstetra Karina Tafner ressalta que, no dia do exame, coleta-se cerca de 20 ml de sangue, que são obtidos por punção de veias periféricas da mãe.

A sexagem fetal é feita por um laboratório de análises clínicas e leva em média 10 dias para ficar pronta. Esse tempo pode variar dependendo do laboratório em que o teste foi realizado.

Sexagem fetal identifica a quantidade de bebês?

A sexagem fetal não consegue identificar a quantidade de bebês. O ginecologista Alberto D’Áuria esclarece que o exame consegue identificar somente a presença ou não do cromossomo Y, não sendo possível dizer o número de fetos.

Quando o exame de sexagem fetal pode dar errado?

O resultado do exame pode ser alterado em casos de tratamentos de reprodução assistida, como a fertilização in vitro, quando são transferidos dois ou mais embriões.

“Existe a possibilidade de um dos embriões implantados no útero da mulher não evoluir e acabar sendo reabsorvido pelo organismo. Dessa maneira, o teste pode erroneamente detectar a presença de cromossomos masculinos (Y) que são desse embrião que não se desenvolveu e não do feto que está evoluindo”, explica a ginecologista Ana Paula Aquino.

Além disso, o resultado pode apresentar erro em casos que a mãe tenha recebido transfusão de sangue ou possua órgão transplantado de um homem.

Quem não pode fazer a sexagem fetal

Uma vez que se baseia na detecção de sequências de cromossomo Y, o teste de sexagem fetal não é indicado para gestantes que, porventura, já tenham recebido transfusão sanguínea ou transplante de células sanguíneas de doador do sexo masculino.

Além disso, o exame não deve ser utilizado para o diagnóstico de gravidez, nem para finalidades relacionadas com aconselhamento genético ou com qualquer outro diagnóstico em Medicina Fetal.

As gestações anteriores não interferem no resultado da análise, uma vez que o DNA fetal circulante é rapidamente depurado da circulação materna após o parto.

Quanto custa o exame de sexagem fetal?

O preço do exame de sexagem fetal depende da região do país em que será feito, podendo variar de R$ 200 a R$ 800. O exame não é oferecido gratuitamente pelo SUS e também não é coberto pelos planos de saúde, sendo realizado somente na rede particular.

Sexagem fetal e ultrassom: qual a diferença?

Como dito anteriormente, a sexagem fetal é um exame realizado em uma amostra de sangue da grávida, na qual será analisada a presença do cromossomo Y do feto, a fim de identificar se o bebê é menino ou menina. Já o ultrassom é um exame de imagem simples, sendo considerado a forma mais convencional de saber o sexo do bebê.

“No caso da ultrassom, a identificação do sexo é feita por meio da observação da genitália através da imagem ultrassonográfica. Porém, nem sempre essa identificação é fácil, pois o bebê precisa estar numa posição favorável para isso”, afirma a ginecologista Ana Paula Aquino, especialista em reprodução humana da Huntington Medicina Reprodutiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *