Luz azul: saiba o que é e como se proteger da forma correta

Escrito por Informe Publicitário, Redação Minha Vida

Com as novas pesquisas no campo da oftalmologia, hoje se sabe muito mais sobre os efeitos nocivos da luz azul que irradia do sol, dos LEDs, celulares, computadores e diversos outros aparelhos eletrônicos. Esse tipo de luz se subdivide em dois tipos: a luz visível azul turquesa e luz visível azul violeta, que pode estar relacionada a doenças da retina (estrutura ocular fundamental para a visão), tais como a degeneração macular relacionada com a idade, uma das principais causas de cegueira após os 50 anos. Proteger-se contra esse tipo de luz, portanto, é essencial para a saúde ocular.

Para entender melhor, a luz azul é o maior componente da luz visível, ou seja, é onipresente em nossas vidas. Embora a retina humana seja protegida pela córnea e outras estruturas, a luz azul consegue penetrar na região, provocando danos.

Sabe-se que um pouco de exposição à luz azul tem efeitos benéficos contra a miopia, mas o problema está na exposição além dos limites saudáveis, o que costuma acontecer diariamente na vida moderna. Hoje, além da luz do sol, a maioria das pessoas se expõe mais de seis horas por dia a aparelhos eletrônicos, como celular e computador, o que potencializa os efeitos danosos.

Como o sol é o maior responsável por emitir esse tipo de luz, o ideal é sempre proteger os olhos desse excesso ao se expor à luminosidade do dia. Para isso, há possibilidade de usar óculos com filtros específicos para luz azul. No entanto, para quem deseja mais autonomia e praticidade, já existe no mercado uma lente de contato que traz essa proteção com eficiência.

ACUVUE®Oasys com Transitions? é a única lente de contato gelatinosa que fornece essa proteção. Além de todos estes benefícios, como o filtro de luz azul e proteção ultravioleta (UV), o conforto proporcionado por ela é imbatível, pois oferece redução do impacto da claridade intensa mesmo em dias nublados, pois ela se adapta às variações da intensidade luminosa. Além disso, promove uma visão noturna de melhor qualidade e proporciona um contraste cromático que deixa a visão mais nítida e clara.

Além desse cuidado com o sol, no entanto, é preciso lembrar que a luz azul nos acompanha em locais fechados, como em casa ou no ambiente de trabalho. A luz do computador, aquele tempo que passamos no celular, o filme que assistimos na TV, por exemplo, são momentos em que nos expomos ainda mais.

Por isso, além da proteção em ambientes externos, ACUVUE® Oasys com Transitions? protege contra luz azul em ambientes internos. Com ela, o uso do celular, computador e outras fontes de luz azul não se torna mais uma ameaça à saúde dos olhos.

Luz azul e o sono

Proteger-se contra a parte nociva da luz azul é útil para a saúde dos olhos, mas a ausência total desta luz pode trazer consequências para o sono. Para entender melhor, quando em quantidade moderada, o tipo de luz azul emitido pelo sol (luz azul turquesa) é importante para regular os ciclos de sono e vigília, fazendo com que o organismo entenda quando é para ficar desperto e quando é a hora de dormir.

A luz azul que emana dos smartphones ou aparelhos eletrônicos (luz azul violeta), porém, é o tipo que afeta negativamente o sono por bloquear a produção de melatonina, hormônio que começa a ser liberado ao entardecer, o que pode provocar insônia.

É por isso que ACUVUE®Oasys com Transitions? é uma ótima opção de lente de contato, pois, além de proteger do excesso de luz azul turquesa proveniente do sol, é também capaz de proteger os olhos à noite contra a luz azul violeta emitida por aparelhos que usamos com frequência e que pode causar danos aos olhos e ao sono. Com essa proteção, não há interrupção da produção de melatonina, e o ritmo normal do organismo pode seguir seu curso.

Quarentena e a exposição excessiva à luz azul

De repente, o mundo mudou: com a pandemia do novo coronavírus, grande parte da população mundial passou a ficar em casa e, com isso, veio o aumento da exposição às telas, já que, mesmo que a pessoa não trabalhe em frente a um computador, é provável que agora ela tenha mais tempo para se dedicar à sua série favorita ou se divertir no celular, equipamentos que emitem luz azul.

A dinâmica escolar também se transformou: parte dos alunos agora frequenta a escola de forma online, sendo expostos ainda mais à luz nociva.

É preciso, portanto, ficar atento à quantidade de horas de exposição às telas, já que, além da luz azul, o contato prolongado dos olhos com os aparelhos digitais provoca fadiga ocular, por isso é importante fazer uma pausa durante o expediente. Sabe-se também que as crianças ficam mais vulneráveis à miopia por causa do excesso de uso de telas digitais próximas ao rosto.

Outro problema que deve ser considerado durante esse período de isolamento social é que o aumento da exposição à luz azul pode atrapalhar o sono das crianças e dos adultos, atrapalhando o rendimento escolar e do trabalho. É necessário, portanto, limitar o acesso às telas durante o período da noite, e optar por um entretenimento que não seja por meio de eletrônicos.

No caso dos adultos, há a opção de usar a lente de contato ACUVUE®Oasys com Transitions?, pois ela é capaz de filtrar a luz azul e minimizar os efeitos nocivos. Já para as crianças, o correto é deixá-las longe das telas, oferecendo jogos de tabuleiro ou incentivando brincadeiras analógicas.

Referências:

Zhi-Chun Zhao, Ying Zhou, Gang Tan et al. Research progress about the effect and prevention of blue light on eyes. International Journal of Ophtalmology. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6288536/

Pei Chen, Zhipeng Lai, Yihui Wu et al. Retinal Neuron Is More Sensitive to Blue Light-Induced Damage than Glia Cell Due to DNA Double-Strand Breaks. Cells. Disponível em: https://www.mdpi.com/2073-4409/8/1/68/htm

Degeneração Macular é principal causa de cegueira depois dos 50. Minha Vida. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/alimentacao/noticias/3627-degeneracao-macular-e-principal-causa-de-cegueira-depois-dos-50

Screen use for kids. American Academy of Ophthalmology. Disponível em: https://www.aao.org/eye-health/tips-prevention/screen-use-kids

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *