Artrose nas mãos: uso excessivo de celular é fator de risco

Doença que afeta as articulações pode dificultar movimentos simples do dia a dia

Escrito por Bernardo Sampaio – Fisioterapia – CREFITO 3:125.811F/SP
Via Minha Vida

artrose nas mãos começa com uma sensação de que as juntas dos dedos estão ressecadas, como se estivessem travadas ou até mesmo um pouco inchadas. Se nada for feito, com o tempo, vem um grande desconforto.

Afinal, esta doença provoca o desgaste das articulações e, assim, aumenta o atrito entre os ossos, que acaba causando dor e dificuldade para realizar movimentos simples no dia a dia – como segurar objetos ou escrever. Nos casos mais avançados, há ainda a formação de nódulos duros nos dedos, provocando deformações.

O que causa artrose nas mãos?

Assim, a artrose pode ser bastante limitante, principalmente quando atinge as duas mãos, sendo mais comum em idosos e em mulheres na menopausa, devido ao envelhecimento da cartilagem. Além disso, ela também pode acometer pessoas que realizam atividades que exijam frequentemente as articulações das mãos, como o trabalho doméstico, por exemplo.

Doenças inflamatórias, autoimunes ou genéticas também podem favorecer a rigidez das mãos, resultando em artrose. Entretanto, em tempos de era digital, não é incomum ver essa patologia em pessoas jovens e saudáveis, já que essa doença também está associada ao uso excessivo de celular ou computador.

Uma pesquisa recente, desenvolvida pela Universidade de Gothenburg, na Suécia, mostrou que existe uma relação direta entre o uso frequente de celulares e o surgimento de dores nas mãos – sendo que o polegar é o mais prejudicado.

Na análise, foi constatado que os movimentos altamente repetitivos dos dedos têm sido identificados como um potencial fator de risco para o aparecimento de distúrbios osteomusculares – o que pode levar a um quadro de artrose precoce.

Como tratar a artrose nas mãos

Tanto o diagnóstico quanto o tratamento inicial da artrose nas mãos é clínico, feito através de medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos, imobilização e reabilitação. Medicamentos protetores de cartilagem também podem retardar o processo de desgaste e, consequentemente, diminuir a dor.

Em casos mais avançados, é melhor que seja realizada uma intervenção cirúrgica, cujo método depende da articulação envolvida e também do grau da artrose.

Dentro da fisioterapia, também existem diversas técnicas que podem ser utilizadas em casos de artrose, como terapia a laser, exercícios e massagens fisioterapêuticas. O objetivo principal desses métodos é fortalecer os músculos ao redor dessas articulações.

Geralmente, são indicados exercícios leves e de baixa intensidade para este fim. Vale destacar ainda que a fisioterapia deve ser associada com outros métodos terapêuticos para complementar o tratamento e atingir o melhor grau de recuperação.

Além disso, algumas medidas de prevenção também são fundamentais para evitar e/ou retardar o surgimento da doença. Entre essas ações está o controle das atividades exercidas no cotidiano, que deve incluir pausas para descanso e alongamento das articulações dos dedos e punhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *