Saiba como deixar o encontro com os amigos mais saudável

Em geral, as confraternizações acabam girando em torno de cardápios calóricos. Mas é possível buscar opções melhores para a saúde sem deixar de lado o hábito de comer junto.

Segundo Irene Coutinho de Macedo, coordenadora do curso de Nutrição, do Centro Universitário Senac (SP), é importante que as pessoas cultivem o hábito de se reunir para fazer refeições juntos e é mais interessante ainda quando elas fazem a própria refeição. “Ao preparar o alimento, a gente sabe a procedência dos ingredientes”, afirma.

Quanto ao cardápio, Irene sugere alternativas para os pratos tradicionais, como o churrasco. “Vamos pegar o churrasco, podemos trazer outros elementos para melhorar a qualidade da alimentação, optar por carnes com menos gordura, além de incluir hortaliças, berinjela, tomate, beterraba, entre outros”, explica.

Outra opção é variar o cardápio, buscando outras culinárias, como a mexicana ou a árabe, por exemplo. “Essas cozinhas usam ingredientes mais naturais para o preparo. Assim, consegue-se uma alimentação menos monótona, mais diversificada. Dá para diversificar sem perder em qualidade e sabor”, afirma.

Para evitar

Mesmo nas reuniões e eventos com os amigos, se recomenda que os alimentos ultraprocessados sejam evitados. Segundo a coordenadora do curso do Senac, não há uma quantidade recomendada para esse tipo de alimento. O ideal é que se priorize alimentos in natura, preparados em casa.

“O consumo dos alimentos ultraprocessados pode levar à obesidade, que é um problema em saúde pública. Se consome um grande volume de alimentos com carga energética muito alta, que podem causar diabetes, pressão alta”, explica a coordenadora. Outro fator importante é evitar o excesso.

Comer junto

Os eventos sociais com comida podem ser uma ótima opção para estreitar laços. “Preparar o alimento de forma coletiva, estar junto, deixa as pessoas mais próximas. Quando a gente prepara e come com as outras pessoas, come melhor, não faz a refeição sozinho, se senta à mesa e observa mais o que consome”, enumera Irene.

Para a coordenadora, a partir da observação do que se come, é possível melhorar a qualidade de vida como um todo. E para que todos possam colocar em prática uma refeição coletiva mais saudável, a sugestão de receita é o charutinho de uva, que garante sabor e diversão no preparo. Confira!

Charutinho de Uva
Irene Coutinho de Macedo (receita adaptada de Dna Elisa Farhud)

Ingredientes:

350 g de folha de uva (pode substituir a folha de uva por folha de repolho)
2 xícaras (chá) de arroz branco lavado
500 gramas de carne moída
Sal a gosto
1 colher (chá) de Pimenta Síria moída
1/2 colher (café) de noz moscada ralada
1/2 colher (café) de canela em pó

Caldo para cozinhar o charuto

2 colheres (sopa) de manteiga
6 dentes de alho cortados ao meio
1 cebola média (bem picada)
1 tomate picado sem pele e sem semente
Sal a gosto
2 limões (suco)
Pimenta Síria gosto
Água (até cobrir eles por completo, quando estiverem prontos e montados na panela)

Montagem do charuto

Lavar as folhas de uva e retirar o cabinho da parte de cima da folha. Escaldar as folhas em água quente para que elas fiquem mais macias.
À parte, misturar o arroz (cru) com a carne moída (crua). Juntar o sal, a pimenta Síria, a noz moscada e a canela em pó.
Misturar tudo com as mãos.
Em seguida, rechear cada folha de uva com a mistura de arroz, carne e temperos.
Para rechear cada folha de uva colocar no centro da folha um punhado da mistura de arroz e fechar a folha começando pela parte superior, depois os lados e enrolando o conteúdo do recheio em forma de charuto, deixando-o totalmente escondido dentro da folha de uva.
Esse processo deve ser repetido para cada folha. Reservar os charutinhos.

Modo de preparo do charuto

Em uma panela larga e alta, derreter a manteiga e refogar o alho, a cebola e o tomate. Juntar o sal, o limão e a pimenta Síria.
Colocar os charutos, um a um, por cima do refogado, arrumando em camadas, tomando cuidado para não desmanchar os charutinhos
Cobrir os charutinhos com água e ferver tudo, até que o arroz de dentro do charuto esteja cozido. Servir ainda quente e sem o caldo.

Mais opções

Outra dica importante é aproveitar o  Guia de Alimentos Regionais Brasileiros, que valoriza a culinária tradicional e aposta no uso de alimentos in natura e incorpora a cultura e as tradições das diferentes regiões do Brasil.

Fonte: Saúde Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *