Como superar um ataque de pânico (e como evitar nova crise)

Por Claudia Faria – Psicóloga via Tua Saúde

Para controlar um ataque de pânico ou as crises de ansiedade, é importante respirar profundamente, ir para um local onde a pessoa se sinta segura e, se possível, tomar um pouco de ar fresco, tentando sempre manter a calma. Além disso, é também muito importante não focar a atenção na ansiedade, desconforto, náusea, agitação e tremores que se possa estar sentindo.

Um ataque de pânico é um fenômeno físico que acontece devido a um nível extremo de ansiedade, sendo por isso muito importante reconhecer desde cedo os primeiros sintomas que geralmente surgem, como diarreia, agitação, irritação, palpitações, dor no peito, calor e suor repentino ou sensação de falta de ar. Conheça outros sintomas que esta síndrome pode causar.

Como superar um ataque de pânico (e como evitar nova crise)

O que fazer para superar um ataque de pânico

Para superar um ataque de pânico, é importante conseguir controlar a ansiedade e não desesperar, sendo importante:

  1. Procurar rapidamente um local onde a pessoa se sinta segura ou um local fresco e calmo;
  2. Sentar onde possível ou ficar agachado;
  3. Fechar os olhos, inspirar profundamente e expirar lentamente pela boca, repetindo isto durante alguns minutos;
  4. Tentar manter a calma e o pensamento positivo, acreditando que os sintomas e desconforto vão passar rapidamente;
  5. Tomar o remédio prescrito pelo médico para tratar os ataques de pânico.

Além disso, se a pessoa tiver alguém a quem possa dizer que está com um ataque de pânico, deve fazê-lo, pois essa pessoa poderá ajudar a acalmar e a lidar melhor com toda a situação.

Como tratar a síndrome do pânico

Para perceber se sofre desta doença, a pessoa deve consultar um médico psiquiatra, que vai realizar um diagnóstico e indicar o melhor tratamento. Geralmente, a síndrome do pânico é tratada com terapia comportamental e psicoterapia feito pelo psicólogo, que vão ajudar não só no controle dos sintomas, como também ajudam a reduzir o número de crises, ao fim de algum tempo.

Além disso, o médico pode também recomendar o tratamento com remédios que ajudam a acalmar e a controlar as crises, como antidepressivos e em alguns casos benzodiazepínicos, que apenas devem ser tomados sob indicação médica. Veja que outros remédios podem ser usados para tratar esta síndrome

Como superar um ataque de pânico (e como evitar nova crise)

Existem também alguns remédios naturais ou chás de valeriana, maracujá ou Erva de São João que podem ser usados para complementar, de forma natural, o tratamento para a síndrome do pânico. Veja quais.

Alimentação para controlar o estresse e a ansiedade

O tratamento para a síndrome do pânico também pode ser complementado através da alimentação, uma vez que beber um suco de laranja e maracujá com levedura de cerveja por dia, ajuda a acalmar e a equilibrar o sistema neurológico, melhorando a resposta do organismo ao estresse e ansiedade.

Além disso, uma alimentação rica em alimentos antioxidantes como tomate, açaí, morango, couve, brócoli ou romã, por exemplo, ajuda a reduzir os efeitos negativos que o excesso de estresse, nervosismo e ansiedade pode ter sobre o corpo e cabelo.

O que fazer para evitar os ataques de pânico

Para prevenir o surgimento de ataques de pânico, existem algumas dicas que podem ser uteis como:

  • Evitar o estresse ou ambientes que causem estresse e ansiedade;
  • Sempre que possível sair na companhia de alguém com quem a pessoa se sinta segura e confortável;
  • Evitar locais com muitas pessoas, como shows, teatros ou transportes públicos por exemplo;
  • Evitar o consumo de bebidas que estimulem o sistema nervoso como cafeína, chá verde, preto ou mate, bebidas alcoólicas ou energéticas;
  • Evitar atividades que aumentem a ansiedade, como assistir a um filme de suspense ou de terror por exemplo;
  • Praticar atividades que ensinem a relaxar como yoga ou o pilates por exemplo.

Além disso, para o controle dos ataques de pânico, o mais importante é tentar afastar a ideia de que se vai sentir medo ou pânico, pois é a presença destes pensamentos é uma das razões que leva ao aumento da ansiedade e ao surgimento dos ataques. Veja como identificar e controlar um ataque ainda no início.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *